quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Sanções para utilizadores da orla costeira


O Conselho de Ministros aprovou o Decreto-Lei que estabelece o regime sancionatório aplicável às infracções praticadas pelos utilizadores da orla costeira, no que respeita a sinalética e barreiras de protecção.

Este diploma tem como objectivo base dois pontos, a prevenção e segurança de pessoas e bens e o reforço dos poderes das autoridades com competências de fiscalização nesta área. Existe uma evolução considerável de degradação e recuo das arribas que resulta nos desmoronamentos e quedas de blocos. A dispersão de ocorrências por todo o território nacional litoral é uma característica que impossibilita a capacidade de avaliação de estruturas, uma vez que existem condicionantes que poderão accionar a erosão de massas, o que torna difícil prever uma zona de risco aparente a “olho nu”. O diploma aprovado incide na questão do incumprimento da sinalética informativa, que foi colocada numa determinada área de estudo e que apresenta um risco elevado, como tal deverá ser respeitado, mas também a destruição, remoção da referida sinalética imputa coimas, uma vez que para além do vandalismo coloca a vida de terceiros (pessoas e bens) em risco. Foram estabelecidas coimas para quem remova, danifique ou destrua as estruturas de protecção ou de sinalização existentes nestas zonas, as quais podem variar para pessoas singulares, entre 200 e 750 euros, e para pessoas colectivas, entre 1000 e 2000 euros.
Foram também fixadas coimas entre 10 e 50 euros para quem permaneça em zonas interditas ou transponha barreiras de protecção.
Segundo o diploma, a fiscalização do cumprimento do disposto no decreto-lei compete às Administrações das Regiões Hidrográficas, aos órgãos locais da Autoridade Marítima
(Policia Marítima) e às autoridades policiais ou administrativas competentes.

Rio: Portugal vence em U18


Uma semana para fazer campeões!

Disputaram-se no passado dia 24 e 25 de Julho os Campeonatos do Mundo de Jovens no Canal Fissero Tartaro e no Canal Bianco respectivamente em Garolda e Ca Vechia, Mantova, Itália. Portugal foi uma das oito nações a apresentar equipas nos 3 escalões (U14, U18 e U22).

O espírito de equipa foi reinante nesta comitiva, sendo bem patente que os objectivos colectivos iriam sobrepor-se a um hipotético resultado individual. O trabalho realizado por todos os atletas complicou bastante a vida aos respectivos seleccionadores, tendo apenas Ricardo Sousa sentido algumas “facilidades” fruto de uma visita súbita ao hospital por parte de Jorge Queirós (U14). Em U14, a pesca foi complicada para os nossos atletas que não conseguiram segurar muitos dos grandes peixes (carpas e pequenos siluros) que por ali havia; o resultado final foi um 7º posto em 8 equipas, pese a boa prestação de Jorge Queirós que, reabilitado, voltou e arrancou um bom 2º lugar. Em U18 tudo correu na perfeição. A aposta do seleccionador Luís Franco foi feita numa zona declivosa a 7 metros da margem em busca de peixes de pequeno e médio porte (carpas, pimpões e skimmers, engodando com terra e argilas, asticots mortos e casters, táctica que se revelou eficiente e fez com que Portugal conquistasse o título, entre as 17 equipas participantes, e Carlos Silva um 4º lugar muito amargo, pois ficou em igualdade pontual com o 3º, sendo apenas superado por uma diferença de 1 kg.
Já em U22 as coisas não correram bem, tendo Portugal ficado em 17º lugar, entre 19 equipas, fruto de uma estratégia menos indicada e que teve como consequência falta de um peixe maior à altura da pesagem.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

De mestre!

Na edição de Setembro apresentamos um artigo sobre as escolhas de 3 mestres do spinning da zona Oeste do país. Conhecida pelas dificuldades que alguns desses pesqueiros encerram para tirar o peixe da água, Tiago Laurentino decidiu mostrar como se faz, mostrando ao mesmo tempo que a escolha aprimorada do material conta bastante.
Delicie-se com mais um espectacular momento de spinning... feito em Portugal, por portugueses!
video

domingo, 1 de agosto de 2010

Celebração foi... uma grande pescaria!

Nem sempre os golos são o melhor de um jogo de futebol. Por vezes, a celebração é muito mais agradável.
Que o digam os adeptos do encontro entre duas equipas do campeonato islandês. Na marcação de uma grande penalidade, o avançado colocou a bola nas redes, colocando a sua equipa em vantagem na partida por 2-1.
Foi então que ocorreu o momento cómico do encontro. O autor do golo lançou a linha de uma cana de pesca imaginária e “capturou” o seu colega de equipa, a quem coube o papel de peixe. No final, a captura teve ainda direito a fotografia, tirada por mais um colega de equipa.Pelos vistos há muitos seguidores do camaronês Roger Milla, mas que desta feita inovaram nas comemorações e mostraram que a pesca também pode ser um desporto de equipa.

Troféu Bocage


Agora Internacional!
O Troféu Bocage vai este ano realizar a sua 9ª edição.
Esta prestigiada prova de pesca em barco fundeado tem a particularidade de ser este ano, ao mesmo tempo e pela primeira vez, uma Prova Internacional de Pesca Desportiva de Alto Mar, conferindo a organizção desta forma um carácter internacional ao referido troféu, atendendo à presença de atletas de variados países como Alemanha, Itália, Espanha e Cazaquistão. A prova vai ser realizada no dia 12 de Setembro, terá o apoio da Câmara Municipal de Setúbal e do Mundo da Pesca. As inscrições estão desde já abertas - e a superar todas as expectativas -, devendo todos os interessados efectuarem as suas inscrições até ao dia 31 de Agosto, as quais devem ser feitas através do geral@clubecompanhiadosmares.com; clubecompanhiadosmares@gmail.com ou pelos seguintes números telefónicos 265 221 322; 914 454 562; 968 119 111 e 937 681 984.